Corpo

Procedimentos

ginecomastia1

Ginecomastia

Mama Masculina

O aumento excessivo das mamas masculinas é conhecido como ginecomastia, e pode ser tratada através da correção cirúrgica do excesso de tecido mamário e adiposo na região. Essa alteração pode interferir na qualidade de vida e autoestima do paciente, que evita situações sociais em que tenha que tirar a camiseta, como na praia ou piscina por exemplo.

O aumento da mama masculina pode ser devido à algumas patologias que causam alterações  alterações hormonais (inclusive uso de anabolizantes), obesidade, ou mesmo de idiopática (desconhecida).

A cirurgia pode ser realizada através da ressecção de tecido, lipoaspiração ou da associação de ambas as técnicas, em regime ambulatorial (alta no mesmo dia).

Previamente à cirurgia, pode ser necessário:

> Fazer exames de laboratório ou avaliação médica,
> Tomar certos medicamentos ou ajustar seus medicamentos atuais,
> Parar de fumar bem antes da cirurgia,
> Evitar tomar aspirina, medicamentos naturais e alguns outros medicamentos, pois podem aumentar o sangramento.

Por isso é muito importante avisar o seu cirurgião plástico todos os medicamentos que está utilizando ou que pretende utilizar antes de sua cirurgia.

Após a cirurgia, um curativo cobrirá suas incisões e uma malha pode ser usada para diminuir o inchaço e dar sustentação à mama operada.

Um dreno pode ser temporariamente colocado sob a pele para drenar qualquer excesso de sangue e de fluido que possam acumular.

abdominoplastia_m1

Lipoaspiração

A Lipoescultura remodela áreas específicas do corpo, removendo o excesso de depósitos de gordura, melhorando os contornos do corpo e a proporção. Apesar de boa saúde e da prática de exercícios físicos, algumas pessoas podem, ainda, ter um corpo com contornos desproporcionais devido a depósitos de gordura localizada. Estas áreas podem ocorrer devido a características genéticas, à falta de controle do peso ou de atividade física. A lipoaspiração pode ser usada para tratar acúmulos de gordura em várias partes do corpo, incluindo coxas, braços, pescoço, cintura, costas, parte medial do joelho, peito, queixo e pernas.

A lipoescultura pode ser realizada de forma isolada ou associada a outros procedimentos como forma de complementação, por exemplo na abdominoplastia. Além disto, a gordura retirada pode ser utilizada, em alguns casos, para volumização e tentativa de melhora de algumas regiões corpóreas (glúteos, face e depressões corpóreas).

Previamente à cirurgia, pode ser necessário:

> Fazer exames laboratoriais ou avaliação médica,

> Tomar certos medicamentos ou ajustar seus medicamentos atuais,

> Fazer um exame de imagem antes da cirurgia para ajudar a detectar quaisquer mudanças futuras no tecido,

> Parar de fumar com bastante antecedência à cirurgia,

> Evitar tomar aspirina, medicamentos naturais e alguns outros medicamentos, pois podem aumentar o sangramento. Por isso é muito importante avisar o seu cirurgião plástico todos os medicamentos que está utilizando ou que pretende utilizar antes de sua cirurgia.

Uma malha de compressão específica para pós-operatório ou bandagens elásticas são colocadas nas áreas tratadas na finalização do procedimento, pois ajudam a controlar o inchaço e a comprimir a pele, otimizando a recuperação pós-operatória.
A drenagem linfática também é importante para obter uma recuperação mais rápida e adequada.

O edema (inchaço) causado pela cirurgia desaparecerá após alguns meses. Quando isto ocorrer, o novo contorno corporal será visível. Seguir algumas recomendações fará com que você mantenha os resultados obtidos inicialmente com a lipoescultura, ou seja, é preciso manter peso adequado e adotar um estilo de vida saudável. O ganho de peso pode fazer você perder o resultado obtido com a cirurgia.

lipoaspiracao1

Abdominoplastia

Barriga

Neste procedimento, há a remoção do excesso de gordura e de pele e, na maioria dos casos, restaura os músculos enfraquecidos ou separados, criando um perfil abdominal mais suave e tonificado. Ter um abdômen liso e tonificado é algo que muitos de nós se esforça para ter através de exercício físico e controle de peso. No entanto, às vezes, exercício físico e controle de peso não são suficientes para que alcancemos nossos objetivos. Mesmo pessoas com peso corporal e proporção normais podem desenvolver um abdômen protruído, frouxo e flácido.

As causas mais comuns destas situações incluem:

> Envelhecimento
> Oscilações significativas no peso
> Hereditariedade
> Cirurgia prévia

Previamente à cirurgia, pode ser necessário:

> Fazer exames laboratoriais ou avaliação médica,

> Tomar certos medicamentos ou ajustar seus medicamentos atuais,

> Fazer um exame de imagem antes da cirurgia para ajudar a detectar quaisquer mudanças futuras no tecido,

> Parar de fumar com bastante antecedência à cirurgia,

> Evitar tomar aspirina, medicamentos naturais e alguns outros medicamentos, pois podem aumentar o sangramento. Por isso é muito importante avisar o seu cirurgião plástico todos os medicamentos que está utilizando ou que pretende utilizar antes de sua cirurgia.

A recuperação total da abdominoplastia dá-se após alguns meses. É comum edema (inchaço) e equimoses (roxos) no pós-operatório, por isso é importante utilizar malha modeladora e realizar drenagens linfáticas como forma de complementação e otimização do resultado. É comum sentir dor e desconforto nos primeiros dias, por isso é fundamental utilizar os medicamentos prescritos pelo seu cirurgião plástico para amenizar essas queixas.

Geralmente, os resultados visíveis iniciam após 30-60 dias, período no qual a maior parte do inchaço já reduziu, ficando a barriga mais harmônica com o seu corpo, principalmente quando se associa a lipoescultura no mesmo tempo cirúrgico.

cicatriz1

Correção

de Cicatriz

A cirurgia de correção de cicatriz reduz a cicatriz de modo que fique mais uniforme com o seu tom de pele e a textura circundante.

As cicatrizes são sinais visíveis que permanecem após uma ferida ser cicatrizada, sendo resultado inevitável de lesão ou cirurgia, e seu desenvolvimento pode ser imprevisível. A má cicatrização pode contribuir para o surgimento de cicatrizes desfavoráveis. Mesmo uma ferida que cicatriza bem pode resultar em cicatriz precária em sua aparência.

Suas opções de tratamento variam de acordo com o tipo e o grau de cicatrização e podem incluir:

>Tratamentos tópicos simples;

> Procedimentos minimamente invasivos;

> Revisão cirúrgica com técnicas avançadas de fechamento da ferida.

A cirurgia de correção de cicatriz destina-se a minimizar a cicatriz de modo que fique mais uniforme com o seu tom de pele e a textura circundante. Apesar da correção da cicatriz proporcionar resultado estético mais agradável ou melhorar uma cicatriz que tenha má cicatrização, uma cicatriz não pode ser completamente apagada.

Correção cicatricial é a cirurgia plástica realizada para melhorar a condição ou a aparência de uma cicatriz em qualquer parte do corpo.

Descoloração, irregularidades da superfície e demais cicatrizes mais sutis podem ser esteticamente melhoradas por cirurgia ou demais tratamentos recomendados pelo cirurgião plástico. Estes tipos de cicatrizes não prejudicam a função ou causam desconforto físico e incluem cicatrizes de acne, bem como cicatrizes decorrentes de ferimentos leves e de incisões cirúrgicas anteriores.

Cicatrizes hipertróficas são aglomerados espessos de tecido cicatricial que se desenvolvem diretamente no local da cicatrização. Estas cicatrizes são, na maioria das vezes, altas, vermelhas e/ou desconfortáveis, e podem se tornar maiores ao longo do tempo. Elas podem ser hiperpigmentadas (de cor mais escura) ou hipopigmentadas (de cor mais clara).

Quelóides são maiores que as cicatrizes hipertróficas. Estas cicatrizes podem ser dolorosas ou com prurido e, também, podem enrugar. Elas se estendem para além das bordas de uma ferida ou incisão inicial, podendo ocorrer em qualquer parte do corpo, mas, desenvolvem-se mais comumente onde há pouco tecido subjacente de gordura, como na face, no pescoço, nas orelhas, no peito e nos ombros.

Contraturas são cicatrizes que restringem o movimento devido à junção da pele e do tecido subjacente durante a cicatrização. As contraturas ocorrem quando há uma grande quantidade de perda de tecido, por exemplo, após uma queimadura. As contraturas também podem se formar onde a ferida se junta com a articulação, restringindo o movimento dos dedos, cotovelos, joelhos e pescoço.

O tipo de cicatriz que você tem irá determinar as técnicas adequadas que o cirurgião plástico irá usar para suavizar a cicatriz.

expansao1

Expansão de Tecido

corpo/pele

A expansão de tecido permite ao corpo “gerar” pele extra para o uso na reconstrução em quase todas as partes do corpo.

Expansão de tecido é um procedimento relativamente simples, que permite ao corpo “gerar” pele extra para uso na reconstrução em quase todas as partes do corpo. Um balão expansor de silicone é inserido sob a pele próximo à área a ser reparada e, em seguida, gradualmente preenchido com água salina ao longo do tempo, fazendo com que a pele estique e cresça. É mais comumente utilizado para a reconstrução de mama após sua retirada, mas, também, é usado para reparar a pele danificada por defeitos congênitos, acidentes, cirurgia e em alguns procedimentos estéticos.

Praticamente qualquer pessoa que precise de pele adicional pode se beneficiar da expansão de tecido, desde crianças a homens e mulheres idosos.

O procedimento é muito utilizado na reconstrução da mama, quando não há pele suficiente para acomodar um implante permanente para restaurar a aparência natural da mulher. Também é uma opção para a reparação ou a substituição de áreas do couro cabeludo, em que o crescimento do cabelo faz com que seja difícil substituir tecido perdido com a pele de outras partes do corpo. A expansão de tecido geralmente produz excelentes resultados quando reconstrói algumas áreas do rosto e do pescoço, nas mãos, braços e pernas.

A expansão pode ser mais difícil nas costas, tronco, ou em demais áreas onde a pele é espessa. Se a área afetada estiver severamente danificada ou com cicatrizes, a expansão provavelmente não é uma opção, pois, o primeiro requisito é que a pele esteja saudável.

Até recentemente, os cirurgiões estavam limitados a retalhos e a enxerto de pele para reconstruir o tecido danificado.

A expansão do tecido, no entanto, oferece uma técnica adicional com várias vantagens.

Primeiramente, a expansão oferece uma combinação quase perfeita de cor e de textura. Em segundo lugar, porque a pele mantém-se ligada à área doadora de sangue e de nervo, há menor risco de necrose.

Ademais, por não ter de ser movida de uma área à outra, as cicatrizes são frequentemente menos aparentes. Por outro lado, a expansão da pele tem um inconveniente significativo − o período de tempo necessário para crescer pele adicional.

Dependendo da área a ser reconstruída, a expansão do tecido pode levar de três a quatro meses. Durante este tempo, o expansor cria o que pode ser uma protuberância desagradável − o que é desejável na reconstrução da mama, mas pode ser bastante perceptível para uma pessoa que precise de reparo do couro cabeludo ou de demais áreas do corpo.

Além disso, o procedimento requer várias visitas ao cirurgião para a injeção da água salina que infla o balão. Para algumas pessoas, a aparência inconveniente de um expansor é suficiente para que considerem outras opções.

queimadura1

Queimaduras

corpo/pele

Talvez uma das melhores ações perante a eventualidade da queimadura seja a prevenção. Devemos lembrar que a queimadura atinge crianças e adultos, podendo oferecer risco à vida. As cicatrizes podem marcar para sempre.

A importância do cirurgião plástico no tratamento das queimaduras é tão significativa que a queimadura é considerada área de atuação do cirurgião plástico. A atividade do cirurgião plástico se dá tanto na fase aguda quanto na sequela da queimadura.

Na fase aguda da queimadura o objetivo é promover a cicatrização da área queimada. Este processo depende da origem e profundidade da área atingida. O tratamento cirúrgico da fase aguda pode começar com uma simples remoção do tecido desvitalizado chegando aos retalhos e enxertias de pele.

tumores1

Tumores

Cutâneos

Consiste na retirada parcial ou total de lesões de pele (benignas ou malignas), respeitando as características da patologia em questão e buscando o melhor resultado estético-funcional possível.

Consiste na retirada (parcial ou total) de lesões de pele (benignas ou malignas), respeitando as características da patologia em questão e buscando o melhor resultado estético-funcional possível.

Dentre os diversos tipos de tumores benignos, destacam-se: nevos, siringomas, quelóides, lipomas, cistos, leiomiomas, neuromas, hemangiomas, entre outros. Entre as lesões malignas, os tumores mais comuns são: carcinoma basocelular (CBC), carcinoma epidermóide ou espinocelular (CEC) e melanoma.

Diferente dos tratamentos clínicos (medicamentos, laser, etc.), que podem estar indicados para alguns casos selecionados de lesões, todo tratamento cirúrgico envolve corte(s) na pele e/ou mucosa(s) e, por consequência, cicatriz(es).

Não existe cirurgia sem cicatriz(es). O que existe é a cirurgia bem planejada, com cicatriz(es) final(is) bem posicionada(s) e camuflada(s), quando possível, em relevos naturais da pele, atingindo resultados pouco perceptíveis.

Nem toda lesão de pele exige retirada cirúrgica. Após a devida avaliação por médico qualificado, que examinará a lesão e os dados pessoais pertinentes, serão discutidas com o paciente as possíveis condutas que variam desde o simples acompanhamento periódico, passando por tratamentos não-cirúrgicos, até a cirurgia propriamente dita.

Nos casos de tratamento cirúrgico, há ainda diversas possibilidades de planejamento que deverão ser discutidas com o paciente.

A programação da cirurgia varia dependendo do tipo de lesão (se benigna, maligna, de crescimento rápido ou não, impondo limitações funcionais ou não, etc.), e só poderá ocorrer após a devida avaliação do paciente por médico qualificado.

Toda cirurgia acarreta cicatriz(es). Dentro do possível, respeitando as características e necessidades de tratamento da patologia em questão (lesão de pele), as cicatrizes são planejadas de maneira a ficarem em posições que diminuam a tensão sobre seus bordos, facilitando a cicatrização, e/ou camufladas em relevos existentes na pele. A cicatrização é um processo complexo e cheio de peculiaridades dependentes da natureza de cada um.

Alterações mais (fase inicial) ou menos (mais tardiamente) aparentes continuam a ocorrer mesmo após meses da realização do procedimento. Uma cicatriz final de boa qualidade é resultado de adequada técnica cirúrgica + fatores orgânicos próprios de cada paciente + devido manejo pós-operatório.

Dependendo do tipo, tamanho, localização da lesão, maiores ou menores deformidades poderão advir do procedimento cirúrgico. No caso das lesões malignas (câncer de pele), apesar dos esforços visando o melhor resultado estético-funcional possível, o mais importante é que se consiga a cura da doença.